30/10/2007

Lenda

Postado por Liliane Cristine |

A grande autora Jude Deveraux nos transporta da Víriginia dos tempo modernos para as montanhas do Colorado em 1873, a fim de contar a história vibrante de uma mulher dinâmica e corajosa e do homem que lhe ensinaria o eterno poder do amor.
Kady Long, famosa chef , está prestes a se casar com um homem extraordinário, e por isso considerava-se a mulher mais afortunada do mundo. Mas, ao abrir uma antiga lata de farinha de trigo, descobre uma foto velha e fascinante de quatro estranhos, e sente uma misteriosa empatia... e um desejo irresistível de experimentar o delicado vestido de noiva de cetim, os brincos de ametistas e o véu de renda finíssima bordada à mão que também estavam dentro da lata. E foi então que uma misteriosa vertigem a dominou...
Quando tornou a abrir os olhos, Kady se descobriu numa paisagem agreste, sob um sol ardente, onde estava reunida uma quadrilha de bandidos...e um enforcamento prestes a começar.
Sempre decidida, Kady conseguiu impedir que os bandidos consumassem o enforcamento, disparando um tiro de rifle e assim salvando a vítima _ um homem alto, magro e muito atraente.
Ansiosa em voltar a seu tempo, Kady pede ajuda ao estranho. Mas Cole Jordan, de Lenda, Colorado, tem um senso de humor insinuante... e ela acaba se tornando sua esposa!
Se Kady não pode entender o que há por trás daquele homem e de seua cidade, pelo menos pode dissipar a noção de que é uma noiva obediente do século XIX. Fará um banquete fabuloso, que custará uma fortuna a Cole...e que será lembrado para sempre.
Nesse ínterim, Kady começa a gostar daquele homem enigmático...e também de Lenda. Mas Cole revelará um segredo que acabará com o conto de fadas na fronteira do Colorado... e os unirá de uma maneira que Kady nunca imaginaria ser possível.

Comentário:

Jude Deveraux se superou neste romance.
Achei o livro maravilhoso!
O tema Viagem no Tempo foi muito bem narrado. E quando você pensa que a história somente fica neste tema... você se surpreende com as revelações. Além do tema Viagem no tempo a autora mistura de forma brilhante a reencarnação.

Agora um trecho deste maravilhoso livro:

  • O Árabe Misterioso

... - Então me fale do homem com rosto velado _ estimulou Debbie, e dessa vez Jane fez um sinal para que Kady contasse a sua versão.

- Não é nada, mesmo. Quando era adolescente, vivia obcecada para encontrar esse homem _ disse, e olhou para Jane. - E agoraacho que encontrei. Gregory se parece muito com ele.

- Ele quem? - perguntou Debbie, frustrada. - Ou você me conta ou vou obrigar você a comerqueijo fundido!

- Nunca soube que você tinha essa veia de crueldade - disse Kady secamente, e então: - Ok, Ok. Tenho um sonho recorrente , e é sempre o mesmo. Estou em pé num deserto e tem um homem montado num cavalo branco, um daqueles, um daqueles belos cavalos árabes. O homem veste um manto de lã preta. Ele olha para mim, mas só consigo ver seus olhos, porque um pano preto cobre a metade inferior do rosto dele.

Por um momento, a voz de Kady suavizou diante da lembrança daquele homem do sonho que representava uma parte tão marcante da sua vida.

- Ele tem olhos incomuns, amendoados. As pálpebras, um pouco fundas, lhe dão um ar de tristeza, como se ele tivesse visto mais dor do que devia.

De repente, Kady voltou ao presente e sorriu para Debbie:

- Ele nunca diz nada, mas sei que quer algo de mim e está esperando que eu faça alguma coisa. Fico sempre frustrada por não saber o que ele quer. Depois de um tempo ele estende a mão para mim. É uma mão bonita, forte, com dedos longos e pele bronzeada.

Sem querer, Kady sentiu a força do sonho só de contar a história. Se esse sonho tivesse ocorrido somente uma ou duas vezes, ela teria conseguido esquecê-lo, mas, desde os nove anos, não havia uma semana em que o sonho não voltasse. E era sempre o mesmo, sem absolutamente nenhuma variação.

Sua voz ficou tão apagada que Jane e Debbie precisaram se inclinar para ouví-la.

- Sempre tento segurar a mão dele. Mais do que qualquer outra coisa no mundo, quero pular naquele cavalo e fugir com ele. Quero ir para onde ele estiver indo, ficar com ele para sempre, mas não consigo. Não consigo alcançar a mão dele. Tento, mas a distância entre nós é grande. Depois de um tempo seus olhos mostram uma tristeza infinita, e ele retira a mão e vai embora. Ele cavalga como se fosse parte do cavalo. Depois de um bom tempo freia o cavalo, se volta por um segundo e olha para mim como quem espera que eu mude de idéia e parta com ele. Toda vez eu lhe peço que não me deixe, mas parece que ele nunca escuta. Ele aparenta ainda mais tristeza, se vira e vai embora.

Kady recostou-se na cadeira.

- Esse é o fim do sonho.

Subscribe